Pular para o conteúdo principal

Fidelidade às Doutrinas Cristãs

Comentário da lição da EBD Betel
Por: Edes
 FIDELIDADE ÁS DOUTRINAS CRISTÃS
TEXTO: “Não vos deixeis envolver por doutrinas várias e estranhas, porquanto o que vale é estar o coração confirmado com graça e não com alimentos, pois nunca tiveram proveito os que com isto se preocuparam” Heb. 13.9.
INTRODUÇÃO:Fidelidade às doutrinas cristãs significa observância constante e sem desvio aos ensinamentos deixados por Jesus.
As doutrinas ou ensinamentos legados por Cristo à sua Igreja são imutáveis e constituem a base que a sustenta; sem a observância desses ensinos a Igreja deixa de ser Igreja para ser apenas uma seita herética. Pois, o fundamento (base) e Pedra de esquina é Jesus (Verbo ou palavra), como afirmou o apóstolo Paulo: “Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei o fundamento como prudente construtor; e outro edifica sobre ele. Porém cada um veja como edifica. Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo” (I Co. 3.10 e 11). Como se sabe, o que sustenta um edifício é sua base - quanto melhor for o material, mais resistente e imbatível ele será.
Ao meditarmos na relevância da doutrina cristã para a preservação da Igreja, concluímos que como guardiães dos mandamentos de Jesus Cristo, temos uma grande responsabilidade diante de Deus no sentido de observá-los, e batalharmos para impedir que eles sejam falsificados.
I – DESVIO DOUTRINÁRIO DA IGREJA
Satanás sempre usou a mentira para tentar enganar as pessoas, dando a Verdade um sentido diferente. Ele sempre acrescenta ou omiti algo para transformá-la em mentira, pois uma meia verdade acaba se tornando em uma mentira inteira. A esse tipo de corrupção da Verdade podemos denominá-la de heresia ou desvio doutrinário.
A história da Igreja militante foi iniciada na década de 30 do nascimento de Cristo, por isso imaginamos que seus ensinos se resumem apenas no Novo Testamento. Todavia, temos ciência de que o Cânon Sagrado teve início com o AT e foi encerrado com os ensinamentos de Jesus Cristo. Portanto, as investidas de satanás contra a Verdade começou no Éden e não apenas pela ocasião da inauguração da Igreja.
Sabedores da importância da doutrina para a vida da Igreja, Jesus e os apóstolos sempre se preocuparam em nos advertir no sentido de estarmos alertas para não cairmos nas artimanhas de satanás que usa como instrumentos do mal os falsos profetas, os falsos mestres, etc. Contudo, sabemos que por mais advertências que foram dadas, a Igreja não ficou isenta das heresias. Paulatinamente ela foi se desviando dos verdadeiros ensinos de Cristo de forma sistemática a partir do IV século a.D. para começar retornar às suas origens somente no século XVI. Todavia, para cumprimento das sagradas Escrituras ( I Tm. 4.1 ) o Evangelho que está sendo pregado pela maioria dos que se intitulam cristãos é um evangelho falsificado – recheado de rituais pagãos e engenhocas para beneficiar mercenários. Não restam dúvidas nenhuma – estamos vivendo o início de uma grande apostasia teológica que se transformará no palco que o diabo está preparando para apresentar o AntiCristo ao mundo. Nos Estados Unidos, por exemplo, o número de cristãos evangélicos vem caindo desde algumas décadas. Pesquisas recentes indicam que o número de protestantes que era de 51,3% caiu para 48%; enquanto isso, o número de pessoas que afirmam não acreditar mais na existência de Deus aumenta a cada dia, como é o caso dos ex-pastores: Fábio Marton (Assembleiano), Jerry DeWitt (Pentecostal), Ryan Bell (Adventista). Tomemos muito cuidado com o Evangelho fácil, pois enquanto mais se procura fugir da responsabilidade de se submeter às exigências do Evangelho da porta estreita, mais vulnerável às heresias e ao ceticismo estará.
1.1  - Substituição dos ensinos bíblicos pelas fábulas
Uma das maiores e mais precisas estratégias diabólicas para desqualificar os ensinos de Jesus é o sincretismo - a mistura de filosofias humanistas, paganismo, legalismo, costumes mundanos, etc. com a verdadeira doutrina bíblica. Paulo certa vez, enquanto combatia contra o legalismo mosaico dentro da igreja da Galácia, advertiu aos irmãos acerca do perigo de se misturar um pouco de heresia com a Verdade, dizendo: “Um pouco de fermento leveda toda a massa” (Gl. 5.9).
Nos dias atuais vivemos saturados de pregadores anunciando um evangelho sincrético – barato, onde qualquer um pode ser evangélico sem abandonar suas velhas práticas; onde pode ser evangélico e praticar quase tudo em nome da profissão: dançar, cantar para mundo, jogar, etc. Um pouco para Deus e um pouco para o diabo – o importante é estar indo às reuniões de cultos de vez em quando e contribuir financeiramente.A maioria das lideranças vem substituindo o verdadeiro Evangelho por um evangelho simplista por medo da pressão dos mais abastados que podem correr para a igreja da esquina que oferece um evangelho fácil do “não tem nada haver”.
O Novo Testamento registra alguns tipos de ensinos heréticos já presenciados naqueles dias, como a doutrina de Balaão (Ap. 2.14) que ensinou Balaque induzir o povo de Israel a comer coisas sacrificadas aos ídolos e a prostituírem com as mulheres de sua nação, para que eles se achassem em pecado diante de Deus e consequentemente fossem derrotados; a doutrina dos nicolaítas (v.15), inserida provavelmente, por Nicolau - um ex-diácono da Igreja que havia se apostatado da fé, o qual ensinava que a libertinagem não era pecado e que se podia usar o corpo de forma leviana.
Os líderes religiosos mais conservadores que ainda não se venderam ao modismo e as novas filosofias humanistas, devem se preocupar cada vez mais com a pureza doutrinária, e dar menos importância aos lucros financeiros e ao status social que a liberdade religiosa pode auferir.
1.2  - Falta de aplicação do estudo das Escrituras
Um dos maiores problemas presenciados na Igreja hoje é a apostasia da fé. A cada dia cresce significativamente o número de simpatizantes aderindo às fileiras evangélicas em nosso país, enquanto isso não se vê muitas mudanças no comportamento dessas pessoas. É como se elas continuassem em suas denominações religiosas de origem, abstendo-se apenas dos pecados mais graves. E por que isso acontece? Porque há certa negligência na exposição e aplicação das doutrinas de Cristo. Quase não se houve mais um sermão doutrinário, exortativo, onde o ministrante dá nome ao pecado. A maioria tem medo de falar contra a idolatria, contra a prostituição e o adultério, contra as roupas imorais dentro das igrejas, o roubo, a mentira, etc.
Aplicar a doutrina bíblica não é expor um sermão rico de informações teológicas, históricas, etc., apenas para informar o ouvinte. Além da informação, o pecado deve ser confrontado por meio de ilustrações comparativas, interpretação exegética, etc., que levem o cristão a refletir sobre a sua real situação.  Além do mais, a mensagem deve ser exposta em tom exortativo advertindo sobre o juízo que virá sobre os desobedientes e ao mesmo tempo mostrando as promessas de recompensa para os fiéis aos ensinos de Cristo.
1.3  - Ensino das Escrituras com motivações impuras
O Evangelho de Cristo é o Novo Pacto que Deus fez com o homem, e foi selado com o sangue do próprio Testador (Jesus), indicando que a existência do Evangelho é resultado do amor de Deus para com a humanidade. E isso nos leva a conclusão de que aqueles que foram escolhidos e chamados para a obra evangelística e de pastorear devem antes de tudo ter o mesmo sentimento (amor) que Jesus teve. Mas, infelizmente a maioria ensina as escrituras ou canta motivados pela ganância, inveja, emulação, desejo de riqueza, etc. E quando isso acontece, os interesses e necessidades essenciais das ovelhas ficam para um segundo plano ou quem sabe jogado para o esquecimento.O quadro de crise de integridade da Igreja militante parece agravar a cada dia que se passa, e temos como uma das causas mais perceptíveis a falta de compromisso e amor pela causa do Mestre por parte de muitos que estão à frente do rebanho de Deus.
II – CONSEQUENCIAS DO DESVIO DOUTRINÁRIO DA IGREJA
A maior e mais significativa consequência do desvio da verdadeira doutrina é a descaracterização do grupo religioso como Igreja de Cristo. E não tem consequência maior e mais danosa para a alma do indivíduo do que perder as características de um verdadeiro cristão.
2.1 - Afasta as pessoas da Igreja
Muitos líderes religiosos por falta de visão espiritual apelam para o caminho largo, ensinando um evangelho do “não tem nada haver”, “Deus só quer o coração”, etc. achando que abrindo as portas para o mundanismo vão conseguir arrebanhar muita gente, mas é um engano. Pode até conseguir um número significativo de adeptos, mas de pessoas sem compromisso, como se vê nas grandes seitas. São pessoas que não possuem estrutura espiritual e conhecimento de Deus suficiente para resistir às provas e por qualquer pressão deixa de ir à igreja.As pessoas sinceras - sedentas da verdadeira água e famintas do verdadeiro pão do Céu não conseguem permanecer no ambiente que não oferece o necessário para satisfazer suas necessidades espirituais básicas. Enquanto mais se alimenta a ovelha mais apegada ao pastor e ao ambiente pastoril ela fica.
Outro detalhe importante que muitos precisam saber é que os ensinos de Jesus, por mais duro que pareçam ser em certos momentos, eles nunca matam espiritualmente o cristão; pelo contrário, dão vida e vida com abundância; se alguém se desviou por motivo de aplicação de alguma doutrina, é porque o ministrante não soube a maneira correta e o momento certo de aplica-la. O alimento deve ser dado na quantidade certa e da maneira correta, caso contrário o efeito será negativo, assim é o alimento espiritual.    
2.2 - Produz contenda e não edificação
A palavra de Deus produz Paz e harmonia verdadeira entre as pessoas, pois Jesus é o príncipe da Paz. E o mais importante: edifica a vida espiritual tornando o velho homem em nova criatura e em casa espiritual para morada do Espírito Santo. Porém, quando a Palavra é ministrada de forma irreverente e recheada de invencionices humanas ela perde sua essência, seu valor espiritual, e não surte o efeito desejado. Pelo contrário, surgem discórdias, críticas, murmurações, etc., e isso impede que Deus se faça presente no meio do povo, pois a onde há contenda o Espírito de Deus não permanece.
2.3 - Alvo fácil de manipulação
Uma pessoa ou grupo religioso que não se preocupa em crescer na Graça e conhecimento de Cristo Jesus para adquirir visão espiritual é como uma pessoa 100% cega fisicamente - qualquer um pode conduzi-la com facilidade para onde quiser.A pessoa que não procura conhecer a Deus e sua palavra permanece espiritualmente cega de tal forma que qualquer caminho pra ela conduz ao Céu.Há muitas pessoas em nosso meio que ao invés de estarem estruturadas sobre a Rocha verdadeira, estão baseadas em milagres e revelações. Para elas, qualquer pessoa que fizer alguma revelação ou proferir alguma profecia ao seu respeito, ou realizar algum milagre, essa pessoa é uma pessoa de Deus. Jesus certa vez (Jo. 15) deixou bastante claro que pelo fruto se conhece a árvore. Ao falar de frutos Jesus não estava se referido aos sinais miraculosos realizados por alguém – mas, de caráter em relação à palavra de Deus.
Hoje se veem evangélicos frequentando qualquer lugar que fala em Deus e realiza algum tipo de milagre. E isso tudo porque não possuem conhecimento suficiente para distinguir a mão direita da esquerda. Não possuem conhecimento suficiente para refutar as heresias e nem recusar o convite para ir a ambientes inconvenientes para cristãos. E sabe de quem é a culpa? Dos seus líderes! Que estão mais preocupados em pregar sermões sobre prosperidade material do que em pregar sermões doutrinários para mostrar o caminho do Céu. São aqueles que gastam mais tempo ensinado como as ovelhas produzem mais lã, leite e carne, comendo pasto seco e não as ensina como se desviarem dos abismos, dos dentes dos lobos, como pastar em segurança, etc. Dessa forma ficam fáceis de serem manipuladas por qualquer vento de doutrina. Para essas pessoas tanto faz prestar culto a Jesus como: a Maria, Pedro, Tiago, João, Papa Francisco, pedaço de pau, de pedra, qualquer coisa – qualquer caminho leva a Deus! Sim, é verdade! Os cristãos que obedecerem à Verdadeira doutrina de Cristo irão encontrar com Deus no Céu, enquanto os desobedientes irão encontra-lo no grande trono branco (Juízo Final).
III – RETORNO À FIDELIDADE DOUTRINÁRIA
A apostasia sempre marcou a história do arraial santo. Começando pelo afastamento dos israelitas, dos santos mandamentos de Deus - em várias épocas de sua história: no deserto, na época dos juízes, no país dividido (Judá e Israel), etc. Na história da Igreja não foi diferente. Desde os primórdios de sua existência a Bíblia já menciona vários casos de apostas, e a história em curso continua com registros de apostasias em todas as denominações religiosas tidas como cristãs. Todavia, a Bíblia é enfática ao afirmar que Deus está sempre receptivo àqueles que reconhecem seus pecados e retornam para Ele.
3.1 - Quando anunciamos a palavra com intenção pura
Tudo que fizermos para Deus precisa ser de coração puro, ou seja, com amor, dedicação e fidelidade aos seus ensinos, pois o Espírito Santo coopera com quem anuncia o Evangelho com sinceridade diante de Deus.
3.2 - Quando produz transformação
O objetivo do Evangelho de Cristo é produzir transformação de vida em todos os sentidos, moral, espiritual, sentimental, etc. Como a mudança percebida por Saulo de Tarso a partir do caminho de Damasco quando encontrou com Jesus. Saulo era um fanático religioso capaz de fazer qualquer coisa em nome de sua religião, prendia, batia e até matava. A partir do encontro com o Mestre, seu nome foi mudado de Saulo para Paulo, mudou também seu caráter e a vida completa, transformando-o de um fanático religioso sem visão espiritual em um manso e humilde servo de Deus e grande pregador da Verdade. Um homem que recebeu com mansidão as aguilhadas dos seus algozes até o dia em que foi oferecido em oferta a Deus por meio de sua decapitação. Esse efeito transformador aconteceu na vida de Saulo pelo fato de ele ter recebido de bom grado o ensino genuíno de Jesus Cristo.
3.3 - Quando a doutrina é transmitida com graça
O Espírito Santo é quem convence o homem dos seus pecados (Jo. 16.8). Portanto, é Ele quem dá poder a palavra falada ou escrita. Não adianta o ministro preparar um bom sermão, com estudos do tema, oratória, dicção, etc. para impressionar seus ouvintes, se sua mensagem não for transmitida com Graça. Ela é essencial em um discurso religioso, pois a unção do Espírito Santo que está na vida do pregador é quem fará com que a mensagem toque no profundo da alma e do espírito. Portanto, para que as pessoas retornem aos princípios doutrinários do Evangelho é necessário que a Graça divina esteja presente através da cooperação do Espírito Santo.
CONCLUSÃO: A fidelidade aos ensinos de Cristo é essencial para a sobrevivência espiritual da Igreja. Portanto, devemos batalhar com afinco a fim de impedir que o inimigo ganhe terreno na seara do Mestre Jesus.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira chuva enviada sobre a terra não foi pela ocasião do grande dilúvio, como afirma a maioria

Por: Edes Com frequência vimos pregadores afirmarem que até o dilúvio não havia chuva sobre a terra, ou seja, os povos contemporâneos de Adão e Noé não conheciam chuva; talvez por isso não acreditassem na pregação de Noé a respeito do grande dilúvio que Deus enviaria sobre a terra. Os defensores desta ideia reclinam sobre o divã da negligência em relação ao estudo cuidadoso da palavra de Deus, e debruçam sobre os braços dos ditos populares desprovidos de conhecimento bíblico. Àqueles que pregam essa ideia absurda de que até a época do dilúvio não havia chuva, mas apenas um vapor regava a terra, baseiam-se no seguinte texto bíblico: “Não havia ainda nenhuma planta do campo na terra, pois ainda nenhuma erva do campo havia brotado; porque o SENHOR Deus não fizera chover sobre a terra, e também não havia homem para lavrar o solo. Mas uma neblina subia da terra e regava toda a superfície do solo”. Gen. 2.5 e 6 Para aqueles que apenas leem este texto de uma forma rápida e sem observar para…

AS CARACTERÍSTICAS DO CRENTE VENCEDOR

Como cristão você já se sentiu derrotado alguma vez em sua vida? O que seria um crente derrotado? O que fazer para ser um vencedor? Quem em toda a sua vida conseguiu nos legar o maior exemplo de vitória? Você sabia da importância que temos de vivermos vitoriosamente?
Se você tem dúvidas a respeito dessas questões, saiba, portanto, que é necessário que tenhamos conhecimento do falso sentimento de derrota, e o que podemos aprender na Bíblia sobre derrota e vitória. Principalmente descobrirmos a pessoa certa na qual devemos nos espelhar para que tenhamos uma vida vitoriosa.

Se você se acha numa condição de derrotado, o que você entende por derrota? Uma adversidade que está enfrentando como: Uma dificuldade financeira? Uma crise no relacionamento familiar ou amoroso? Por ter se decepcionado com alguém, em quem você tanto confiava? Um deslize moral ou espiritual? Por sentir-se solitário? Por estar sendo perseguido? Porque se acha tão insignificante para as pessoas e para Deus?
Geralmente as p…

Deus ordenou Noé fazer a Arca apenas para ele e sua família, pois a porta da Graça já havia fechado para os demais

Por: Edes Depois do artigo abordando um assunto que irá trazer muita polêmica, que foi a questão da chuva e a neblina, quero apresentar outro tema que irá causar estranheza a muitos pregadores. Digo isso porque até o momento não encontrei nenhum artigo ou pregador que esteja de acordo com minha interpretação. A pregação é sempre a mesma, aprendida de sempre com os mais velhos – Noé pregava para que o povo pudesse se arrepender dos seus pecados, e até ajuda-lo a construir a Arca para que pudessem se salvar através dela. Existem até vídeos, e gravações em LPs que desde criança eu já ouvia, onde mostra um Noé pregando o arrependimento e um povo duro de coração o criticando e chamando de louco ou caduco. Pois bem, neste artigo quero jogar por terra todo esse tipo de visão em relação a Noé e seus contemporâneos no período em que ele construía a Arca. Posso dizer sobre isso, que provavelmente Noé nem realizou mais nenhuma pregação a partir do momento em que Deus o ordenou a construir o gra…