quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

CUIDADO COM A OPRESSÃO DO INIMIGO

Desde que Lúcifer e a terça parte dos anjos se rebelaram contra o governo de Deus no céu, o mundo passou a experimentar o efeito de duas forças, a do bem e a do mal. A do bem representada por Deus e a do mal por satanás e seus anjos.Deus por seu imenso amor e bondade construiu para seus filhos (Primeiro casal), um jardim onde reinava a paz, harmonia e um verdadeiro gozo de felicidade. O jardim era realmente um paraíso onde os filhos de Deus pudessem ter ao seu alcance tudo o que fosse necessário para a sua sobrevivência e conforto, mas, o inimigo de Deus, como já tinha sido jogado do céu abaixo e sabendo que não tinha condições de lutar contra o próprio Deus, procurou, a partir do Édem, destruir a felicidade que reinava em seus corações. Tal objetivo foi alcançado quando com sua sagacidade fez com que eles desobedecessem à lei divina. A partir daí, Satanás que significa adversário, passou a oprimir a raça humana causando-lhe mortes, dores, opressões e sofrimentos. Conduzir à humanidade à destruição e ruína é algo que o satisfaz; primeiro porque ele já está condenado e não quer ir para o inferno sozinho, segundo, porque quer si vingar de Deus causando males à suas criaturas. A guerra entre o bem e o mal não tem trégua, por isso é necessário que o povo de Deus esteja atento às investidas do inimigo e sempre preparado para resisti-lo a qualquer momento. O povo da promessa (Israelitas) descuidou-se por várias vezes e sofreu várias opressões. A lição bíblica desta semana da qual extraí o título para este artigo, nos trás o exemplo de como Israel sofreu nas mãos inimigas por ter abandonado os princípios bíblicos para se envolver com as práticas pagãs vividas e ensinadas pelos seus vizinhos cananeus.O texto bíblico de referência da lição acima mencionada trata da situação de opressão pela qual Israel vivenciou, bem como o motivo que o levou a sofrer tão grande constrangimento, quando diz: “PORÉM os filhos de Israel fizeram o que era mau aos olhos do SENHOR; e o SENHOR os deu nas mãos dos midianitas por sete anos... Porque sucedia que, semeando Israel, os midianitas e os amalequitas, e também os do oriente, contra ele subiam. E punham-se contra ele em campo, e destruíam os frutos da terra, até chegarem a Gaza; e não deixavam mantimento em Israel, nem ovelhas, nem bois, nem jumentos” Jz 6:1, 3 e 4. Preste atenção para dois detalhes: Israel fez o que era mal aos olhos de Deus e Ele o entregou nas mãos dos midianitas. Você percebeu através deste texto que às vezes o próprio Deus entrega o seu povo nas mãos dos seus inimigos? E porque O faz? O próprio texto diz que isso acontece quando seus filhos se esquecem dEle! Essa maneira de tratar com seus servos até parece estranha, porém, é a mais prática no sentido de fazer com que os desobedientes reconheçam seus erros, se arrependam e se convertam.A questão do ataque de satanás e os demônios aos servos de Deus não se restringe apenas aos casos em que o próprio Deus os entrega em suas mãos como forma de discipliná-los, pelo contrário, ele tentou o próprio Jesus; e se ele O tentou, irá respeitar seus servos? Claro que não! O próprio Jesus disse que o ladrão (Satanás) veio com três objetivos: Matar, roubar e destruir (Jo.10:10); portanto, ele não desiste de tentar os filhos de Deus. O Apóstolo Pedro ao descrever o desejo do diabo em levar os salvos a pecarem, disse: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” I Pe.5:8. Nesta carta o Apóstolo escreve aos cristãos que haviam sido dispersos devido às perseguições movidas pelos inimigos do Evangelho, e neste versículo ele nos adverte sobre a necessidade de estarmos sóbrios, ou seja, nunca deixarmos que as belezas do mundo venham nos embriagar ao ponto de perdermos a razão espiritual, pois é por meio dela que temos condições de manter-nos vigilantes em meio ao campo de batalha. A necessidade da vigilância se faz necessário quando estamos diante de qualquer coisa que ameaça nossa integridade física, moral, material e espiritual. Por isso o Apóstolo faz questão de mostrar que estamos diante de um grande inimigo, o qual se constitui em grande ameaça às nossas vidas como cristãos. Esse ADVERSÁRIO é Satanás, - Inimigo cruel e feroz que chegou a ser comparado a um leão que rodeia sua presa esperando o momento certo para tragá-la. Além de Satanás ter a ferocidade de um leão, também possui a estratégia de um lobo. Para destruir o cristão ele se camufla em qualquer coisa: Serpente, anjo de luz, um ente querido falecido, etc. - Conta-se uma pequena ilustração, que certo pastor de ovelhas, tinha por costume contá-las todos os dias pela tarde ao colocá-las no curral e pela manhã ao soltá-las; e para isso, usava o seu cajado. Certo dia percebeu a falta de uma delas, e isso passou a se repetir nos dias seguintes. Achando que pudesse se tratar de alguma falha na estrutura do curral, passou a examiná-lo e constatou que tudo estava em conformidade com as normas de segurança. Ou seja, não havia possibilidade de entrada de algum animal feroz e nem de fuga para as ovelhas. - Diante daquele quadro intrigante, ele teve uma idéia brilhante. – Pela manhã, enquanto as ovelhas saiam do curral, resolveu batê-las com o seu cajado. Bateu em várias, e nenhuma delas manifestou qualquer reação; de repente, quando desceu o cajado em uma que havia ficado para traz ela abriu os dentes ameaçando morde-lo; aí ele percebeu a farsa, e constatou que não era uma ovelha, mas um lobo mau que para saboreá-la havia se vestido à caráter. Essa estratégia diabólica do disfarce é a que mais tem prejudicado a obra de Deus, pois muitas pessoas por não vigiarem e não terem o discernimento espiritual acabam se envolvendo com esse adversário tão cruel e impiedoso, resultando em vidas miseravelmente fracassadas como aconteceu a Eva que não teve o discernimento para conhecer o disfarce satânico ao incorporar numa serpente e acabou tendo que sofrer a sentença de morte, expulsão, sofrimento e derrota.
O CARÁTER E OBRAS DO INIMIGO
O inimigo número um do cristão, por seu caráter e ações lhes foi atribuídos vários termos representando determinados traços do seu caráter e ações. Dentre eles estão: Satanás (Adversário); diabo (Caluniador); Apollyon, do grego e Abaddon, do hebraico (Destruidor); tentador; príncipe deste mundo; etc. Como adversário (I Tm. 4:1) ele persegue a igreja internamente por meio da infiltração de heresias resultando em muitas apostasias. Esta atividade se intensifica na medida em que se aproxima o dia do arrebatamento da Igreja e isso é o que estamos presenciando pelo grande número de seitas que vem surgindo assustadoramente. Assim como deu a Eva um sentido que a mensagem não tinha, Satanás tem causado sérios problemas e prejuízos a Igreja, ao levar muitos líderes religiosos à apostasia teológica, que é o fato de distorcer o verdadeiro sentido das Escrituras; sem falar do número crescente de apostasia pessoal que são aquelas pessoas que abandonam a fé e deliberadamente insistem em viver segundo os rudimentos do mundo.Satanás não para por aí; como adversário ele nos persegue em todas as áreas vulneráveis de nossas vidas; além da perseguição interna como dito acima, ele persegue também externamente como fez no passado com os apóstolos, com os cristãos que viveram na Idade Média, e como faz hoje na atualidade. Percebe-se hoje a existência de um tribunal da Inquisição de forma disfarçada. E isso está patente aos olhos de quem queira enxergar, pois autoridades que deveriam zelar pelo cumprimento das leis, fazem vistas grossas para burlá-las quando querem beneficiar a religião da maioria em detrimento as Igrejas Evangélicas. Outro nome atribuído ao nosso grande inimigo é “diabo” que significa caluniador. No livro de Jó 1:9 está registrada a ação caluniadora do diabo contra o personagem principal do livro. Ele se apresentou diante de Deus e disse que a fidelidade de Jó se devia a sua prosperidade. Segundo ele, a partir do momento em que Deus o permitisse tirar-lhe a riqueza automaticamente Jó O desprezaria. No entanto, foi desmascarado ao ter conseguido levar Jó piores as humilhações possíveis e após tudo isso, constatar que o mesmo mantinha a mesma integridade. Nosso inimigo além de atormentar os santos com calúnias, os levam a presença de Deus com o objetivo de denegrir suas imagens como cristãos. Mas o que mais nos conforta é sabermos que um dia ele terá que parar com suas ações maléficas. No livro de Apocalipse está escrito a respeito dele: “E ouvi uma grande voz no céu que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite” (Ap.12:10). Em Mateus 4:13 nosso inimigo é chamado de “tentador”. Nesta passagem ele ousou tentar o próprio Filho de Deus. Este termo tentador está associado às práticas de induzir as pessoas a contrariar os mandamentos de Deus. Tentar significa testar a pessoa em determinada coisa, porém quando se trata de nosso adversário, existe um propósito maligno. Deus quando testa alguém é para abençoá-lo caso venha passar no teste; mas satanás quando tenta o faz no sentido de levar às pessoas à morte espiritual e a uma vida de completa derrota. Segundo o texto sagrado (Jo.12:31), esse inimigo que sempre vive perseguindo o povo de Deus, possui o título de Príncipe deste mundo. A palavra príncipe significa alguém que governa um principado. Neste caso específico o principado de Satanás é o “Kosmos” mundo físico, mas o seu governo se estende também ao mundo espiritual. Muito embora o seu poder seja limitado, sua influência maléfica tem-se infiltrado em tudo que existe no mundo e que é manipulado pelo homem. Como por exemplo: Nas ciências, se observam supostas comprovações que na verdade, não passam de intenções de querer desqualificar a palavra de Deus ou até mesmo fazer coisas que contrariam a própria natureza. E porque não citar o desenvolvimento tecnológico desregrado com fins ilícitos, e outras coisas mais? Outra área mais atacada por Satanás é a religiosa. Ele vai levar mais gente religiosa para o inferno do mesmo aqueles que dizem não acreditar na existência de Deus. Acontece que existem mais religiosos no mundo do que ateus, e a maioria que afirma ser religiosa não passa de grande numero de fanáticos; pois em nome da religião cometem as maiores barbaridades. Para se ter uma idéia, visite os cárceres e veja que a maioria que ali está se diz pertencer alguma religião. Com isso não estou querendo atribuir esta qualidade àqueles que aceitaram a Jesus depois de estarem lá dentro! Claro que não! Refiro-me aos que dizem pertencer alguma religião e por cometerem delitos acabaram parando lá. Prezado leitor, quando falo de religião não estou querendo dizer que ser cristão não é ser religioso, pelo contrário. O que quero mostrar é que existe diferença entre ser religioso e ser fanático religioso. E a intenção de Satanás é a de levar o ser humano ao fanatismo religioso, pois ele sabe que a religião religa o homem com Deus, mas o fanatismo faz o inverso. Talvez você queira saber a definição desta expressão “fanatismo religioso” e seu dicionário não lhe dá uma resposta satisfatória. Então saiba em poucas palavras: Ser um fanático religioso é acreditar cegamente naquilo que lhe é ensinado em sua religião e não aceitar nenhuma opinião contrária, mesmo que esta tenha vindo da Bíblia sagrada. Existe uma grande diferença entre o religioso e o fanático: Enquanto o religioso promove a paz entre Deus e o homem, e os homens entre si; o fanático promove a guerra em nome de sua religião ou daquilo que acredita. Enquanto o primeiro segue o Príncipe da Paz o segundo é um ferrenho seguidor do príncipe deste mundo causador de todos os males.
DEVEMOS TER CUIDADO COM ELE
Certa vez quando Jesus esteve no Jardim do Getsêmane para orar com os seus discípulos e os deixou ao pé do monte enquanto foi mais além orar ao Pai. Ao voltar os achou dormindo, ao invés de estarem orando. Então lhes disse: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca” Mat. 26:41. Observe que Ele usou dois termos muito importantes para a nossa integridade espiritual – Vigiar e orar. O termo vigiar significa estar atento ou ter cuidado em tudo o que se pretende fazer neste mundo. É necessário estarmos atentos ou cuidadosos no sentido de alcançarmos nossos objetivos, caso contrário o resultado não será satisfatório. Assim é o que acontece ao cristão que não está atento as astutas ciladas do inimigo; acaba se deparando com uma situação semelhante a que vivenciaram os israelitas do A.T. e muitos cristãos da atualidade.A outra recomendação de Cristo aos seus servos foi de estarem em constante oração. Pois ela é o fator preponderante no sucesso espiritual do cristão. Foi por não atender o conselho do Mestre que os discípulos o abandonaram na hora de sua prisão e Pedro O negou por três vezes. A oração é indispensável ao servo de Deus porque é o ingrediente indispensável no seu fortalecimento espiritual. É ela que o faz resistir o nosso inimigo. O próprio Jesus precisou orar ao Pai para que obtivesse forças para conseguir suportar os grandes suplícios que seus inimigos haviam de infligir-lhes. Portanto, o nosso cuidado se resume com base no estudo das sagradas Escrituras: Vigiar e orar. Para sua ajuda espiritual deixo os seguintes textos bíblicos: “Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes” Ef. 6:13 “Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós” Tg. 4:7.
Ponte A. B. Jesus-TO. 14/01/10.

Uma Geração de Cristãos que não Dança nem Pranteia

Por: Edes Durante o tempo de sua peregrinação, Jesus observou com atenção como Ele e João Batista foram recebidos pelos seus contempor...