Pular para o conteúdo principal

A primeira chuva enviada sobre a terra não foi pela ocasião do grande dilúvio, como afirma a maioria

Por: Edes
Com frequência vimos pregadores afirmarem que até o dilúvio não havia chuva sobre a terra, ou seja, os povos contemporâneos de Adão e Noé não conheciam chuva; talvez por isso não acreditassem na pregação de Noé a respeito do grande dilúvio que Deus enviaria sobre a terra.
Os defensores desta ideia reclinam sobre o divã da negligência em relação ao estudo cuidadoso da palavra de Deus, e debruçam sobre os braços dos ditos populares desprovidos de conhecimento bíblico.
Àqueles que pregam essa ideia absurda de que até a época do dilúvio não havia chuva, mas apenas um vapor regava a terra, baseiam-se no seguinte texto bíblico: “Não havia ainda nenhuma planta do campo na terra, pois ainda nenhuma erva do campo havia brotado; porque o SENHOR Deus não fizera chover sobre a terra, e também não havia homem para lavrar o solo. Mas uma neblina subia da terra e regava toda a superfície do solo”. Gen. 2.5 e 6
Para aqueles que apenas leem este texto de uma forma rápida e sem observar para o conteúdo gramatical do texto, acabam por acreditar no mito da ausência de chuva no período da Criação a Noé. Digo mito porque a minha concepção é contrária à interpretação de todos os crentes que já ouvi falar sobre o assunto. Portanto, minha tese é: Chovia sobre a terra desde a Criação do homem, e que essa história de que não chovia, até que Deus enviou o dilúvio sobre a terra é uma história que não deve ser contada nem para as crianças, pois temos o dever de ensiná-las a verdade, e nada mais que isso.
Vamos então ao mais importante, que é a interpretação do texto acima citado; mas para isso, faço a seguinte pergunta: Por que não chovia, mas uma neblina subia da terra e regava todo solo? A resposta está no próprio texto: Porque não havia ainda, plantas, ervas do campo e nem homem para lavrar a terra.
Observe que a palavra “ainda” é um advérbio que indica tempo - algo que para esta passagem bíblica, refere ao período que não tinha plantas e nem homem para lavrar a terra por falta de chuva. Isso quer dizer que se a terra passou a produzir ervas e plantas e o homem foi criado para cultivá-las é porque primeiro Deus criou a chuva.
Como os defensores da teoria de que não chovia sobre a terra, até a ocasião do dilúvio, explicam a Criação da terra? Pois segundo a Bíblia (Gen. 2.2) Deus terminou e descansou de toda obra que havia feito nos céus e na terra, no dia sétimo, e nesta obra está incluída a chuva. Caso contrário, Deus não teria terminado a sua criação numa semana, mas em pouco mais de mil anos (deixando somente a chuva para depois).
O estudioso da Bíblia deve acreditar em uma destas duas interpretações: Deus criou o mundo, incluindo a chuva, em sete dias, ou acredita que Ele não fez o mundo em sete dias, mas em pouco mais de mil anos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AS CARACTERÍSTICAS DO CRENTE VENCEDOR

Como cristão você já se sentiu derrotado alguma vez em sua vida? O que seria um crente derrotado? O que fazer para ser um vencedor? Quem em toda a sua vida conseguiu nos legar o maior exemplo de vitória? Você sabia da importância que temos de vivermos vitoriosamente?
Se você tem dúvidas a respeito dessas questões, saiba, portanto, que é necessário que tenhamos conhecimento do falso sentimento de derrota, e o que podemos aprender na Bíblia sobre derrota e vitória. Principalmente descobrirmos a pessoa certa na qual devemos nos espelhar para que tenhamos uma vida vitoriosa.

Se você se acha numa condição de derrotado, o que você entende por derrota? Uma adversidade que está enfrentando como: Uma dificuldade financeira? Uma crise no relacionamento familiar ou amoroso? Por ter se decepcionado com alguém, em quem você tanto confiava? Um deslize moral ou espiritual? Por sentir-se solitário? Por estar sendo perseguido? Porque se acha tão insignificante para as pessoas e para Deus?
Geralmente as p…

O RELACIONAMENTO DE NORA E SOGRA SOB A PERSPECTIVA DA PALAVRA DE DEUS

A lição bíblica desta semana aborda um tema que nos chama bastante atenção, por se tratar de assuntos relacionados ao relacionamento entre nora e sogra. E por falar em sogra, quem, algum dia, não ouviu uma piadinha sobre a mesma? Creio que você já viu e ouviu, não somente uma anedota, mas também, alguns falatórios que incluíssem alguns adjetivos indelicados, proferidos por algumas noras ou genros que tenham sido vítimas de más atitudes de suas sogras.
Porém, tem coisas que nem sempre são como aparentam ser. Pois, por mais que façam gracejos e falem mal das sogras, jamais podemos generalizar. É normal noras e genros em algum momento, verem suas sogras como vilãs que atormentam seus relacionamentos conjugais; mas nem sempre isso acontece com todas as pessoas, pois tenho uma sogra maravilhosa que até o momento, não tenho nenhum motivo para falar mal dela. E assim acredito que existem muitas noras e sogras espalhadas pelo mundo afora que se relacionam muito bem; talvez um relacionamento me…