Pular para o conteúdo principal

Deus ordenou Noé fazer a Arca apenas para ele e sua família, pois a porta da Graça já havia fechado para os demais

Por: Edes
Depois do artigo abordando um assunto que irá trazer muita polêmica, que foi a questão da chuva e a neblina, quero apresentar outro tema que irá causar estranheza a muitos pregadores. Digo isso porque até o momento não encontrei nenhum artigo ou pregador que esteja de acordo com minha interpretação. A pregação é sempre a mesma, aprendida de sempre com os mais velhos – Noé pregava para que o povo pudesse se arrepender dos seus pecados, e até ajuda-lo a construir a Arca para que pudessem se salvar através dela. Existem até vídeos, e gravações em LPs que desde criança eu já ouvia, onde mostra um Noé pregando o arrependimento e um povo duro de coração o criticando e chamando de louco ou caduco. Pois bem, neste artigo quero jogar por terra todo esse tipo de visão em relação a Noé e seus contemporâneos no período em que ele construía a Arca. Posso dizer sobre isso, que provavelmente Noé nem realizou mais nenhuma pregação a partir do momento em que Deus o ordenou a construir o grande barco. Vou explicar: para início de conversa vamos meditar no seguinte texto: Porém Noé achou graça diante do SENHOR. Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus” Gen. 6.8 e 9.
Observe que nos vv. 8 e 9, o escritor do Gênese dá testemunho de Noé falando do seu perfil moral e espiritual, destacando sua justiça e integridade e seu andar com Deus, em contraste com a vida imoral que levava seus contemporâneos, e que ele havia achado graça aos olhos de Deus. Ora para Noé ser um homem justo como a própria Bíblia afirma, ele não somente se apartava do pecado, da vida imoral daquela sociedade, mas também se preocupou em pregar sobre o verdadeiro modus vivendi que agradaria a Deus, conclamando as pessoas a se voltarem para o seu Criador, por isso o Apóstolo Pedro faz referência a ele como o pregoeiro da Justiça (2 Pe. 2.5), suponhamos que Noé durante quase cinco séculos de sua vida passou pregando sobre a Justiça divina, até que ouve um momento em que Deus disse: basta! Agora já não darei mais oportunidade a essa geração – já ouviram demais a minha palavra, mas continuam endurecidos. “Então, disse Deus a Noé: Resolvi dar cabo de toda carne, porque a terra está cheia da violência dos homens; eis que os farei perecer juntamente com a terra”(v. 13). Preste atenção a expressão usada por Deus: “Resolvi dar cabo de toda carne”. O termo “resolvi” significa, decidi, determinei. A expressão “dar cabo” significa, destruir totalmente. Resumindo, primeiro Deus analisou a situação do povo e viu que ele não queria se arrepender, então tomou a decisão de destruí-lo totalmente da face da terra. Sendo assim eu pergunto: Quando Deus toma uma decisão ou determina sobre uma questão Ele volta atrás? Claro que não! Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele prometido, não o fará? Ou, tendo falado, não o cumprirá?” (Num. 23.19).
Depois de ter determinado a destruição de toda a humanidade, Deus tomou outra decisão em relação a Noé e sua família – a de construir uma Arca para sua salvação do grande dilúvio que seria enviado sobre a terra. Essa verdade está contida no seguinte texto: “Faze uma arca de tábuas de cipreste; nela farás compartimentos e a calafetarás com betume por dentro e por fora. Contigo, porém, estabelecerei a minha aliança; entrarás na arca, tu e teus filhos, e tua mulher, e as mulheres de teus filhos” Gen. 14 e 18. No verso 14 Deus ordena Noé fazer a Arca, mas no verso 18, Ele deixa bem claro que com ele (Noé) faria uma aliança ou acordo. Ora Deus estava fazendo uma aliança apenas com Noé, e não com outras pessoas. Depois Ele diz: entrarás na Arca: tu e teus filhos, e tua mulher, e as mulheres de teus filhos. E ponto final! Ninguém mais estava autorizado a entrar para se salvar, pois a porta da Graça já havia se fechado para os desobedientes, e isso se deu quando Deus ordenou Noé construir a Arca, e não quando o anjo fechou a porta da Arca após sua conclusão. O escritor do livro aos Hebreus escreve: "Pela fé, Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu, e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé" Heb. 11.7. Ele deixa claro que a Arca foi construída para a salvação apenas de Noé e sua familia. Então, essa história de que Noé pregava convidando o povo para ajudá-lo a construir a Arca para que pudesse ser salvos, é uma mensagem sem embasamento bíblico e constitui um atentado contra a palavra de Deus.
A moral desta história é que a porta da Graça divina para a salvação pode se fechar a qualquer momento para o cristão que brinca com Deus, por viver obstinadamente na prática do pecado.Existem muitas passagens bíblicas relacionadas ao episódio do grande dilúvio, mas nenhuma interpretação que for dada a elas, terá condições de refutar esta verdade tão bem explícita.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira chuva enviada sobre a terra não foi pela ocasião do grande dilúvio, como afirma a maioria

Por: Edes Com frequência vimos pregadores afirmarem que até o dilúvio não havia chuva sobre a terra, ou seja, os povos contemporâneos de Adão e Noé não conheciam chuva; talvez por isso não acreditassem na pregação de Noé a respeito do grande dilúvio que Deus enviaria sobre a terra. Os defensores desta ideia reclinam sobre o divã da negligência em relação ao estudo cuidadoso da palavra de Deus, e debruçam sobre os braços dos ditos populares desprovidos de conhecimento bíblico. Àqueles que pregam essa ideia absurda de que até a época do dilúvio não havia chuva, mas apenas um vapor regava a terra, baseiam-se no seguinte texto bíblico: “Não havia ainda nenhuma planta do campo na terra, pois ainda nenhuma erva do campo havia brotado; porque o SENHOR Deus não fizera chover sobre a terra, e também não havia homem para lavrar o solo. Mas uma neblina subia da terra e regava toda a superfície do solo”. Gen. 2.5 e 6 Para aqueles que apenas leem este texto de uma forma rápida e sem observar para…

AS CARACTERÍSTICAS DO CRENTE VENCEDOR

Como cristão você já se sentiu derrotado alguma vez em sua vida? O que seria um crente derrotado? O que fazer para ser um vencedor? Quem em toda a sua vida conseguiu nos legar o maior exemplo de vitória? Você sabia da importância que temos de vivermos vitoriosamente?
Se você tem dúvidas a respeito dessas questões, saiba, portanto, que é necessário que tenhamos conhecimento do falso sentimento de derrota, e o que podemos aprender na Bíblia sobre derrota e vitória. Principalmente descobrirmos a pessoa certa na qual devemos nos espelhar para que tenhamos uma vida vitoriosa.

Se você se acha numa condição de derrotado, o que você entende por derrota? Uma adversidade que está enfrentando como: Uma dificuldade financeira? Uma crise no relacionamento familiar ou amoroso? Por ter se decepcionado com alguém, em quem você tanto confiava? Um deslize moral ou espiritual? Por sentir-se solitário? Por estar sendo perseguido? Porque se acha tão insignificante para as pessoas e para Deus?
Geralmente as p…

O RELACIONAMENTO DE NORA E SOGRA SOB A PERSPECTIVA DA PALAVRA DE DEUS

A lição bíblica desta semana aborda um tema que nos chama bastante atenção, por se tratar de assuntos relacionados ao relacionamento entre nora e sogra. E por falar em sogra, quem, algum dia, não ouviu uma piadinha sobre a mesma? Creio que você já viu e ouviu, não somente uma anedota, mas também, alguns falatórios que incluíssem alguns adjetivos indelicados, proferidos por algumas noras ou genros que tenham sido vítimas de más atitudes de suas sogras.
Porém, tem coisas que nem sempre são como aparentam ser. Pois, por mais que façam gracejos e falem mal das sogras, jamais podemos generalizar. É normal noras e genros em algum momento, verem suas sogras como vilãs que atormentam seus relacionamentos conjugais; mas nem sempre isso acontece com todas as pessoas, pois tenho uma sogra maravilhosa que até o momento, não tenho nenhum motivo para falar mal dela. E assim acredito que existem muitas noras e sogras espalhadas pelo mundo afora que se relacionam muito bem; talvez um relacionamento me…