sábado, 3 de julho de 2010

DEUS E O RELACIONAMENTO INTERPESSOAL

Ninguém consegue viver isolado de outras pessoas e de Deus, e manter uma vida psicológica e emocional satisfatória. Por isso, ao criar anjos e homens, Deus, os dotou da capacidade de se relacionarem entre si, e deu-lhes a liberdade de comunicar-se com Ele – o Criador de todas as coisas. E não somente isso, Ele deseja estar sempre se comunicando com suas criaturas; algo comprovado pelas sagradas Escrituras que afirma: “E ouviram a voz do SENHOR Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e esconderam-se Adão e sua mulher da presença do SENHOR Deus, entre as árvores do jardim” Gn. 3:8.

Da expressão: “E ouviram a voz do SENHOR Deus, que passeava no jardim pela viração do dia”; deduzimos que Deus tinha por costume visitar aquele casal para conversar com ele. E isso era agradável a ambas as partes. Pois para Ele como Criador e sustentador era maravilhoso poder se comunicar através de um relacionamento sadio com as Criaturas mais perfeitas que formara, as quais eram sua própria imagem e semelhança. Por outro lado era magnificente Adão e Eva poderem ouvir a voz do próprio Deus, algo que lhes inspirava carinho, amor e segurança.

O relacionamento existente entre Deus e suas criaturas nos mostra que a necessidade de comunicação é real. E tão necessária e importante, que Deus, ao criar Adão, percebeu que ele não seria completamente feliz se não houvesse uma companheira que estivesse ao seu lado; uma companhia que servisse não apenas para auxiliá-lo em seu labor diário, mas principalmente, que pudesse satisfazer suas necessidades afetivas e sociais.

COMO DEUS SE RELACIONA COM A RAÇA HUMANA

A primeira coisa que precisamos saber é que Deus é uma pessoa, e não parte da natureza inanimada como ensina o Panteísmo (PAN = Todo + TEISMO = Deus); teoria filosófica que afirma que Deus é tudo e tudo é Deus. Segundo essa idéia Deus não é uma pessoa, mas, algo como as águas, pedras, árvores, montanhas, etc. – Um ser que não possui nenhum traço de personalidade.

Ao contrário do que ensinam o Panteísmo e outros “ismos” que colocam em dúvida a existência de Deus; a Bíblia e o testemunho do Espírito Santo na vida do cristão, falam completamente o contrário. Pois sendo uma pessoa, Deus possui traços da personalidade, como: Amor (I Jo.4:9), bondade (Zc. 9:17), ira (Heb. 3:11), vontade (I Jo. 2:17), etc.

O relacionamento interpessoal entre Deus e a humanidade é real, mesmo que muitos não tenham a sensibilidade espiritual para perceber isso. No entanto, não podemos negar que a forma de se relacionar com os homens tenha sofrido algumas mudanças com relação à maioria da população mundial. Isso por que o seu tratamento com relação aos seus filhos é um, e com as demais criaturas é outro. Enquanto que, para seus filhos (Aqueles que aceitaram a Jesus com Senhor e Salvador), Ele se deixa ser conhecido de uma forma especial (Um relacionamento de Pai para filho); com as demais pessoas o tratamento é de Criador para criatura.

Como podemos explicar essa diferença no trato para com seus filhos do trato para com o homem natural? Em primeiro lugar precisamos saber que Deus, embora seja amor, é também o Deus da justiça. Nesse caso, mesmo que o seu amor o impulsione a aproximar do pecador a sua justiça requer certa distância. No relato da queda do primeiro casal vemos o que aconteceu no relacionamento que eles tinham com Deus. Enquanto eles viviam em obediência as leis divinas Deus os conservava no Jardim e até vinha visitá-los, mas a partir do momento em que O desobedeceu, foram então, expulsos do Jardim e levados para longe da presença de Deus, como afirmou o Apóstolo Paulo: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” Rom. 3:23.

Adão e Eva eram representantes da raça humana, por isso seus pecados foram imputados a toda a humanidade; e conseqüentemente todos foram jogados para longe da presença de Deus. Entretanto, como o seu amor é infinitamente incomparável e indescritível, Deus vem ao logo dos anos, usando várias formas de se revelar a humanidade. Dentre elas, as mais comuns são: A natureza com suas belezas que encantam céus e terras como está escrito: “Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite. Não há linguagem nem fala onde não se ouça a sua voz. A sua linha se estende por toda a terra, e as suas palavras até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol, O qual é como um noivo que sai do seu tálamo, e se alegra como um herói, a correr o seu caminho. A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até à outra extremidade, e nada se esconde ao seu calor” Sl.19:1-6. Além do testemunho natural da existência de Deus, existe em todo ser humano – seja ele preto ou branco rico ou pobre, ateu ou religioso; algo chamado espírito, que testifica que existe Deus, o qual anseia por um relacionamento mais íntimo com Ele. E é através desse espírito que um dia Deus soprou e deu vida ao primeiro casal, que Ele deseja se comunicar com a humanidade. No entanto, por estarem cegas pelos encantos do mundo, muitas pessoas não conseguem enxergar a verdade de Deus e para preencher essa a necessidade de Deus, procuram os ídolos. Outros, porém, por não querer aceitar a realidade da existência de Deus, procuram todas as formas de negá-lo. Mas todos, sem exceção, são conscientes da existência de Deus o Criador e sustentador dos céus e da terra.

Dentre as formas usadas por Deus para se revelar ao homem a Bíblia sagrada é a mais eficaz. Através dela o homem conhece a historia da criação, os planos divinos para restaurá-la da queda, o caráter de Deus, seus planos para a consumação do mundo e o que é necessário a humanidade fazer para escarpar do inferno e morar eternamente com Ele no céu. No entanto, a maior revelação de Deus está na pessoa do seu Filho Jesus que veio a este mundo de forma física e sobrenatural; pregou a mensagem de Deus, sofreu e morreu pelos pecados do mundo e ressuscitou para garantir a salvação a todos que O aceitarem. E até hoje, continua falando com o homem, como assim declarou o escritor sagrado: “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho” Heb. 1:1.

O SUCESSO NOS RELACIONAMENTOS DEPENDE DE DEUS

È com muita preocupação que assistimos todos os dias, notícias de relacionamentos interpessoais em crise, como é o caso de conflitos no casamento, membros de famílias que não conseguem se entenderem, relação de patrões e empregados sempre em desequilíbrio, enfim, em todos os grupos sociais se percebe problemas de relacionamentos que paulatinamente vem se agravando. E diante de tanta crise moral, temos apenas duas opções: Deixar Deus fazer parte do nosso rol de amigos, para então passarmos a experimentar uma nova vida de paz e harmonia em nossos relacionamentos; ou então, continuar excluindo Deus de sua vida e ter os seus problemas de relacionamentos cada vez mais agravados. Pois o homem jamais anda sozinho, ou ele anda com Deus, ou anda com satanás. Quem anda com Deus que é o príncipe da Paz, tem uma vida pacata e harmoniosa com aqueles que os cercam, mas quem anda com satanás leva uma vida cheia de conflitos, consigo e com o seu semelhante, porque o diabo é o causador de todos os tipos de conflitos e crises morais e sociais que assolam a humanidade. Foi o diabo que criou o primeiro conflito, ao se rebelar contra Deus no céu, e posteriormente, foi o causador da inimizade entre o homem e Deus.

Disse Jesus aos seus discípulos: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” Jo.14:27. Esta Paz deixada por Jesus mudou a vida de Pedro, homem conhecido pelo temperamento explosivo; que mudou também o intolerante Saulo de Tarso em humilde servo de Cristo; pode mudar também a sua vida.

P.A.B.J TO. 03/07/10

Uma Geração de Cristãos que não Dança nem Pranteia

Por: Edes Durante o tempo de sua peregrinação, Jesus observou com atenção como Ele e João Batista foram recebidos pelos seus contempor...