quarta-feira, 28 de abril de 2010

FIRMANDO O ALICERCE DA FAMILIA

Quando alguém projeta construir um edifício, as primeiras coisas que ele deve estudar são as condições geológicas para constatar se o terreno possui condições favoráveis e o material a ser utilizado, para saber se os mesmos possuem qualidades que ofereçam sustentabilidade a construção. Falhar nesses detalhes é colocar em risco todo seu trabalho e a vida de quem mora dentro. O que justifica a causa das grandes calamidades ocorridas no Rio de Janeiro e outros estados brasileiros, causadas por desmoronamentos de casas e edifícios, em conseqüência das fortes chuvas nessas regiões. Essas tragédias poderiam ser evitadas se essas construções tivessem sido erguidas de acordo com as exigências técnicas.

Conhecedor de todas as ciências Jesus fez associação à vida espiritual do homem a duas condições geológicas para a construção de sua casa, quando disse: “Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; e desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; e desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda” Mat. 7:24-27. Segundo Jesus, o homem prudente é aquele que ao tomar conhecimento dos seus mandamentos tem o cuidado de observá-los, tornando-se assim, resistente aos ataques do inimigo, tendo em vista possuir uma base com materiais de primeira, e ter sido construída sobre um material rochoso de grande resistência. No entanto, resultados contrários obterão quem não os colocam em prática – vêm às tormentas e ele não suporta, pois sua estrutura está erguida sobre um material frágil, tornando-o exposto aos perigos.

Para não fugirmos do nosso tema desta semana, queremos associar os textos acima descritos à família em todo o seu contexto, e não apenas a uma pessoa como indivíduo. Pois embora um dos membros da família possa influenciar todos os outros, ela não será bem estruturada, até que todos os seus membros tenham suas vidas moldadas nas sagradas Escrituras que numa linguagem figurada representam a rocha mencionada por Jesus.

Dentre os tipos de terrenos mencionados por Jesus, pergunto: Sobre qual desses tipos de materiais sua família está edificada? A resposta que você dará a si próprio vai tirar suas dúvidas a respeito dos vários questionamentos que até agora você não conseguiu encontrar uma explicação. Se você não sabe em que tipo de terreno sua família está firmada, veja o que diz a Bíblia sobre o assunto:

UM EDIFICIO SOBRE A AREIA

Talvez você queira questionar o fato de Jesus ter se referido ao terreno arenoso como impróprio para construção de casas e edifícios ao saber que em Dubai nos Emirados Árabes Unidos, existe a
Burj Khalifa (Torre de Khalifa) com 160 andares habitáveis e 828 m de altura, construída sobre um terreno completamente arenoso e desértico e que até o momento nenhum problema relacionado à sua estrutura foi apresentado. Acontece que no tempo de Jesus não havia uma engenharia civil com recursos técnicos como em nossos dias; ou quem sabe ele não quisesse entrar em pormenores e por isso se referiu a uma construção simples, construída a qualquer modo. Mas a respeito desses detalhes não nos importa muito, o que precisamos associar a família é uma construção simples, sem o uso de nenhum material adequado e a aplicação de conhecimentos técnicos exigidos.

Para entendermos melhor o que Jesus queria dizer sobre a fundação da construção leiamos o que diz o Apóstolo Paulo: “Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo” I Co. 3:10 e 11. Veja que o apóstolo não deixou dúvidas sobre quem é o alicerce ou fundamento sobre o qual se deve construir a nossa vida e a nossa família, ao afirmar que o fundamento é Cristo. Nesse caso, a construção sobre a areia significa aquelas que têm como material em sua construção, apenas o conhecimento humano e secular produto de filosofias humanas e tradições religiosas desprovidas de qualquer virtude espiritual, que ao invés de formar cidadãos íntegros e uma família bem estruturada e feliz, apenas maquiam a realidade de sofrimentos e angústias vivenciadas por essas pessoas. São lares destruídos pela jogatina, entorpecentes, o adultério, brigas, ciúmes e uma série de problemas relacionados à falta do conhecimento e da prática dos princípios bíblicos.

Quem não conhece pelo menos através dos meios de comunicação a crise moral pela qual vive a sociedade? Conhecemos muito bem a história de divórcios, assassinatos por motivos passionais; brigas entre pais e filhos, filhos que abandonam o lar por motivos de agressões dos pais e passam a morar nas ruas e pontes, casos de políticos corruptos que furtam sem a menor dor na consciência, enfim, estamos presenciando uma sociedade extremamente caótica e decadente porque a maioria das famílias não teve uma boa formação embasada na palavra de Deus e nem se preocupam em formar o caráter de seus membros segundo os padrões morais e espirituais apresentados por Jesus; pelo contrário, tem-no como padrão moral e ético o comportamento dos artistas de novelas que tem como objetivo apenas, o lucro e a fama, sem se importar com os exemplos negativos que irão ser absorvidos pela sociedade. E assim suas vidas ficam expostas ao perigo da delinqüência que cada dia cresce assustadoramente conduzindo progressivamente de forma assustadora de pessoas às margens da sociedade.

UM EDIFÍCIO SOBRE A ROCHA

Construir sobre a rocha, muitas vezes, exige um trabalho árduo e persistente, contudo, o resultado se torna positivo e gratificante. No texto escrito pelo Apóstolo Lucas ele apresenta a parábola das duas construções, proferida pelo Mestre com maior riqueza de detalhes, quando escreve: “É semelhante ao homem que edificou uma casa, e cavou, e abriu bem fundo, e pôs os alicerces sobre a rocha; e, vindo a enchente, bateu com ímpeto a corrente naquela casa, e não a pôde abalar, porque estava fundada sobre a rocha” Lc. 6:48. Observe nessa passagem que o homem da parábola não apenas construiu sobre a rocha, mas teve o cuidado de cavar bem fundo sobre ela, para então, a partir daí, construir o alicerce. Acredito que naquela época em que não possuía equipamentos de perfuração com os recursos que temos hoje, aquele que pretendia construir a sua casa sobre uma rocha teria que trabalhar duro; mas finalmente tinha o prazer de morar tranquilamente sob um teto que realmente lhe garantia a segurança necessária. Podia ouvir o barulho das chuvas, as ameaças das enchentes e a impetuosidade dos ventos sem ter a necessidade de se incomodar com o perigo de desmoronamento.

No reino de Deus nossa família precisa ter alicerces profundos sobre a rocha que é Jesus, pois Ele é a pedra inabalável que proporciona segurança a qualquer que nela se refugia. O Apóstolo Paulo ao escrever aos cristãos de Éfeso diz: “Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor. No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito” Ef. 2:20-22. Nesta passagem Paulo fala do fundamento dos apóstolos, ou seja, da doutrina de Jesus que era apresentada por eles, a qual apresenta o Mestre como a principal pedra de esquina, ou seja, a pedra principal de uma construção, da qual partia as medidas de todos os ângulos da construção. Pedro escreve: “Por isso também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; E quem nela crer não será confundido” I Pe. 2:6. Não temos dúvidas, portanto, que a rocha sobre a qual devemos edificar moral e espiritualmente a nossa família é sobre Jesus, ou melhor, sobre a sua Palavra, pois: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez” Jo. 1:1-3. Esta é uma passagem das Escrituras sagradas que mostra Jesus como sendo a própria palavra de Deus quando afirma “NO PRINCIPIO ERA O VERBO (Palavra) E O VERBO ESTAVA COM DEUS (Jesus é quem estava com Deus) E O VERBO (Jesus) ERA DEUS. Bem, se sabemos que Jesus é a rocha que devemos construir sobre ela, resta então sabermos como, e que tipo de material devemos usar na construção.

Quando a Bíblia fala em rocha, pedra, construção, etc., nestes textos ora mencionados, refere-se a estes termos apenas figuradamente, de forma que o espiritual e abstrato possa ser mais bem compreendido. Observe que na versão de Lucas o moço da parábola cavou bem fundo sobre a rocha para à partir daquela vala poder construir a sua casa. Isso fala da família que mesmo estando firmada na doutrina de Cristo precisa cavar fundo, e então firmar alguns pilares que sirvam de estrutura para todo o edifício.

CAVANDO FUNDO E FIRMANDO OS PILARES

Como um edifício que precisa de bons materiais em sua estrutura a família precisa de bons materiais espirituais para poder estar bem edificada. Desses materiais consideramos três como os melhores e indispensáveis a uma boa estrutura espiritual, que são: O conhecimento de Deus, a santificação e a oração.

O conhecimento de Deus se adquire através do estudo de sua palavra e do bom relacionamento com Ele, por isso o cristão que deseja um lar feliz e uma família abençoada deve procurar conhecer a Deus a cada dia. Portanto, reserve parte do seu tempo para o estudo e meditação na Palavra de Deus e se possível compartilhando os seus conhecimentos aos seus filhos e demais membros da família.

O outro pilar é a santificação, termo que significa separação do pecado e dedicação a Deus. Se o cristão é somente ouvinte e não procura santificar a sua vida como Deus exige em sua Palavra é como aquele homem que construiu sobre a areia.

O homem precisa ser separado do pecado e dedicar a sua vida a Deus, caso contrário a sua vida será de sucessivas derrotas e decepções, tanto no seio da família como em outras áreas de sua vida.

Finalmente (Não porque esgotou o assunto) a oração é outra coisa que o cristão precisa colocar em prática, pois ela é o meio pelo qual nos comunicamos com Deus. É o inter-relacionamento da criatura e o seu Criador. O próprio Jesus mesmo sendo Deus, precisou se dedicar a oração para que pudesse receber auxilio do seu Pai nas horas mais tristes de sua vida. Contudo, a oração não é um diálogo do qual nos valemos apenas para pedir e implorar ajuda; mas também para expressar a nossa gratidão por tudo o que Deus tem feito por nós.

Não se esqueça uma família para ter alicerces bem firmes precisa cavar fundo com dedicação na busca de condições que favoreçam a boa estrutura, caso contrário, a ruína pode ocorrer em breve, e com danos irreparáveis.

P.A.B.J.-TO. 01.05.10

Uma Geração de Cristãos que não Dança nem Pranteia

Por: Edes Durante o tempo de sua peregrinação, Jesus observou com atenção como Ele e João Batista foram recebidos pelos seus contempor...