sábado, 10 de abril de 2010

OS PADRÕES BÍBLICOS DE INTERAÇÃO ENTRE PAIS E FILHOS


O mundo vive uma crise de relacionamento nunca visto antes – crises nas relações entre as nações, crises nos relacionamentos entre os grupos étnicos, enfim, crises nos relacionamentos sociais de forma geral. Sobretudo, existe uma crise de relacionamento entre pais e filhos nunca presenciado na história da humanidade, onde ambos não se respeitam. Quase todos os dias, quando ligamos o nosso televisor, somos surpreendidos com mais um caso alarmante de pais que torturam e matam seus próprios filhos e filhos que agridem e tiram a vida de seus próprios pais. Tais casos nos surpreendem, não apenas pelo fato em si, mas pela barbárie e pelo requinte de crueldade como são praticados. Contudo, os problemas de menor gravidade vivido nos lares são presenciados de uma forma quase que generalizada. São filhos que tratam seus pais como se fosse um colega de escola ou até mesmo a um comparsa. Os pais por outro lado cometem erros de várias espécies, uns erram porque querem educar seus filhos como um domador doma o burro ou qualquer outro tipo de animal irracional; espancando-os e agredindo-os de todas as formas possíveis. Outros querem se passar por bonzinhos, por isso não corrigem seus filhos, deixam cometerem qualquer tipo de erro e apenas riem dos seus feitos como se dissessem: Muito bom - faça de novo! E com isso, incentivam seus filhos manterem um padrão moral de desrespeito as leis e as autoridades; e pior ainda, de não saberem discernir o que é certo do errado. Existem também aqueles que levam tudo para o lado da psicologia e utilizam apenas o diálogo e alguns tipos de castigo que apenas ensinam a criança obedecer quando houver algo que ela possa ser recompensada ou por medo de perder um direito de usufruir de algum benefício. Esquecem, no entanto, de corrigir e educar seus filhos utilizando o método tradicional do castigo com a vara (Um termo bíblico para o que popularmente chamamos de cipó), quando necessário, por acreditarem que a violência gera violência.
Como cidadãos têm as leis do nosso país para regular nossa conduta e o nosso procedimento diante dos problemas que porventura temos que enfrentar, promovendo, portanto, a ordem e o progresso que a sociedade precisa para a sua consolidação como nação legalmente organizada. Sobretudo, como cristãos, temos a Bíblia como a nossa única regra de fé e prática e nela encontramos respostas para todos os problemas que a humanidade enfrenta; dentre eles a crise de relacionamento existente entre pais e filhos, e que parece não haver mais solução.
Deus, em sua sabedoria formou a primeira família e teve o cuidado de instituir leis que pudessem distingui-la dos demais seres que não possui raciocínio; e através delas Ele pudesse também revelar o seu caráter. E a primeira coisa que percebemos na Bíblia é o princípio de que deve existir uma hierarquia nas instituições. No céu existe uma hierarquia, veja pela ordem decrescente: Deus (Pai), Deus (Filho), Deus (Espírito Santo), arcanjos, querubins, serafins e anjos em geral, e tudo isso com a finalidade de manter a organização através do respeito e a submissão que os demais devem ter ao seu Superior que é Deus o Pai.
Com respeito à hierarquia, até mesmo satanás que é um insubordinado e desordeiro possui a sua com o objetivo de melhor comandar a desordem e as tragédias no mundo.
Pelo motivo da grande importância da hierarquia na manutenção da ordem e da disciplina no mundo é que ao criar a família Deus a constituiu de uma hierarquia. O Pai em primeiro, a mãe em segundo, e os filhos pela faixa etária, visando com isso, à harmonia, o respeito mútuo e o progresso dos membros da família. Talvez você ignore o fato dessa classificação hierárquica feita por mim. Mas segundo as pessoas mais velhas existia o respeito e a consideração entre os irmãos mais novos para com os mais velhos; por exemplo, meu pai (falecido no último dia 25) tinha sua autoridade reconhecida por suas irmãs, que ao se dirigir a ele, tinha o velho costume de tomar a bênção. Mas, como argumentos sem embasamento bíblico não tem muita autoridade, veremos o que ela diz sobre o assunto.
Ao instituir as primeiras leis para o povo israelita, Moisés, sob a inspiração divina, disse: “Honra o teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá” Ex. 20:12. No texto acima mencionado vemos como Deus dá importância à autoridade do pai e da mãe como chefes de família quando usa a expressão “honrar”; e até promete abençoar com longevidade os filhos que assim o obedecerem. Jesus, ao contestar a atitude dos escribas e fariseus disse: “Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Por que transgredis vós, também, o mandamento de Deus pela vossa tradição? Porque Deus ordenou, dizendo: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser ao pai ou à mãe, certamente morrerá” Mat. 15:3 e 4; mais adiante, ao dialogar com o jovem rico disse: “Tu sabes os mandamentos: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; não defraudarás alguém; honra a teu pai e a tua mãe” Mat. 10:19. Posteriormente, ao instruir os crentes de Éfeso, escreveu o Apóstolo Paulo: “Honra o teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa” Ef. 6:2.
Essas reiterações feitas por Jesus e por Paulo acerca do relacionamento entre os filhos e seus pais, reforçam a idéia de que o mandamento que exige a obediência e o respeito, não fora invalidado; pelo contrário, os tornou enfático e válido também para os nossos dias.
O DEVER DOS FILHOS PARA COM SEUS PAIS
Nas linhas anteriores foi esclarecido o bastante para que todos saibam que os filhos devem obedecer aos pais, e como recompensa pela obediência, os mesmos receberão de Deus maior longevidade sobre a terra. No entanto, preciso ser mais específico com respeito a alguns deveres e direitos que envolvem as duas partes. Neste ínterim veremos alguns dos deveres dos filhos para com seus pais e o que eles podem receber de Deus quando este mandamento é cumprido.
Como cidadãos os filhos possui direitos e deveres garantidos por lei, mas como servos de Deus possui também direitos e deveres amparados pela maior legislação e a única que não contém inverdades e injustiças - a Bíblia sagrada. Dentre esses deveres está a obediência.
OBEDIÊNCIA: Parece que a palavra obedecer não faz parte do vocabulário da maioria dos filhos de hoje; talvez porque acharam maior facilidade em se adaptar as filosofias de vida moderna idealizadas por pessoas destituídas de Deus, e que estão a serviço de satanás e do sistema mundano de rebelião que impera neste século, do que aos princípios da moral, da ética e dos bons costumes ensinados por Deus. A cada nova geração se percebe que o espírito de insubordinação aos pais e as autoridades vem tomando um espaço maior no mundo. Isso não significa que num passado remoto não houvesse casos semelhantes; mas isso era mais raro, e quando aconteciam, tais filhos tinha uma punição mais severa; às vezes pagava até mesmo com a sua própria vida como assim estava escrito na lei: “Quando alguém tiver um filho contumaz e rebelde, que não obedecer à voz de seu pai e à voz de sua mãe, e, castigando-o eles, lhes não der ouvidos, então seu pai e sua mãe pegarão nele, e o levarão aos anciãos da sua cidade, e à porta do seu lugar; e dirão aos anciãos da cidade: Este nosso filho é rebelde e contumaz, não dá ouvidos à nossa voz; é um comilão e um beberrão. Então todos os homens da sua cidade o apedrejarão, até que morra; e tirarás o mal do meio de ti, e todo o Israel ouvirá e temerá” Deut. 21:18-21. Entretanto, hoje Deus nos trata uma forma diferente, pois aboliu as formas mais severas de punição, dando oportunidade para o arrependimento; reservando apenas os obstinados para o dia do julgamento final.
Quanto aos filhos que são obedientes e pelo fato de reconhecerem a autoridade paterna, os honram; Deus reservou para eles como recompensa, a possibilidade de ter uma vida mais a longa e abençoada sobre a terra. Portanto, filhos, obedeçam aos seus pais, pois eles quando criticam algumas de suas ações e às vezes se utilizam de alguma forma de castigo para os disciplinarem é porque querem o melhor para suas vidas. Jamais um bom pai deseja más coisas para seus filhos a quem os ama. Compreenda também que ao obedecê-los você está agradando ao próprio Jesus. Veja o que disse o Apóstolo Paulo: “Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor” Col. 3:20.
OS PAIS E SEUS DEVERES PARA COM OS FILHOS
Além do dever que a própria lei nos impõe como pais e cidadãos, que é o de dar aos nossos filhos o sustento, a educação, a proteção, etc. Aqueles que as sagradas Escrituras nos impõem, que é o de educá-los com base nos ensinos sagrados. Se os pais se preocupassem mais com a educação cristã de seus filhos, por meio da leitura e meditação na palavra de Deus e uma vida de integridade moral e espiritual, teríamos um mundo bem melhor. Outros às vezes tem o cuidado de ensiná-los, mas por ignorarem alguns preceitos sagrados acabam formando delinqüentes ao invés de bons cidadãos e bons servos de Deus. São pais que não tem a mínima educação, paciência e compreensão para com os filhos e os irritam com certas exigências tolas e até mesmo certos insultos. Sabendo disso Paulo, o Apóstolo, escreveu: “Vós, pais, não irriteis os vossos filhos, para que não percam o ânimo” Col. 3:21.
Que tenhamos pais com maior grau de sabedoria divina para que possam conduzir seus filhos no caminho reto, contribuindo para que eles sejam bons cidadãos e venham formar uma sociedade justa e harmoniosa.
P.A.B.J. – TO. 10/04/10

Uma Geração de Cristãos que não Dança nem Pranteia

Por: Edes Durante o tempo de sua peregrinação, Jesus observou com atenção como Ele e João Batista foram recebidos pelos seus contempor...