sábado, 27 de março de 2010

VIVENDO CHEIO DO ESPÍRITO SANTO

Estamos em pleno século XXI, uma era marcada pela globalização resultante do grande avanço da ciência e da tecnologia, que fazem com que a informação alcance o mundo inteiro instantaneamente. A evolução das informações e do desenvolvimento dos estudos em todas as áreas das ciências vem deixando o mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Portanto, quem quiser sobreviver como profissional, terá que se adequar as novas exigências do mercado; se especializando, não somente em sua área específica, mas em muitas outras que vêem se universalizando a cada dia, como é o caso da informática,
por exemplo.
Para ocupar um lugar no reino de Deus não é necessário nenhuma formação secular; e nem acompanhar o desenvolvimento das coisas. Precisa-se de algo mais importante que qualquer formação acadêmica, ou até mesmo de uma coleção de diplomas. O que o homem precisa na verdade, é viver cheio do Espírito Santo.

Com o avanço do conhecimento o qual estamos presenciando, percebemos também o avanço do pecado de forma assustadora, bem como de todas as formas de rebelião contra o Criador. Os veículos de comunicação em massa tem se tornado em sua maioria, grandes armas para combater contra a fé cristã. Por isso quem quiser sobreviver espiritualmente precisa estar cheio do Espírito de Deus; caso contrário não terá como sobreviver em meio a tantas oposições declaradas e seduções disfarçadas apresentadas pelo inimigo de nossas almas. Sabedor da real situação a qual os cristãos de Éfeso enfrentavam, escreveu o apóstolo Paulo: “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo; porquanto os dias são maus. Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração” Ef. 5:15-19.

Os grandes heróis da fé conseguiram sobreviver espiritualmente nos legar grandes exemplos de fé e vitória porque possuíam o Espírito de Deus em suas vidas.

No passado, no tempo do antigo Testamento muitos homens, em grande parte, humildes e insignificantes aos olhos humanos; receberam grandes missões e conseguiram cumpri-las, porque receberam de Deus a porção do seu Espírito. Por exemplo, quando Ele precisou de alguém para esculpir as peças de ouro, de prata e de cobre que serviriam como utensílios no Tabernáculo que seria construído no deserto; chamou Bezalel, e o encheu do seu Espírito. O próprio Jesus precisou ser cheio do Espírito Santo na ora da sua grande prova, como está escrito: “E JESUS, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto” Lc. 4:1, bem como para exercer o seu ministério terreno. Quando os apóstolos precisaram de sete diáconos para auxiliarem na parte material da Igreja, disseram: “Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio” Atos 6:3. Quarenta dias depois de Jesus ter sido assunto ao céu, cumpriu-se na vida dos primeiros cristãos, o que escreveu o Profeta Joel que disse: “E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito” Jl. 2:28 e 29. Segundo o Apóstolo Lucas o grande derramamento se deu da seguinte forma: “E, CUMPRINDO-SE o dia de Pentecostes, estavam todos concordemente no mesmo lugar; e de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem” Atos 2:1-4.

Todos esses fatos, e muitos outros que não foram possíveis de serem mencionados aqui, apontam para a necessidade de estarmos vivermos cheios do Espírito de Deus. Mas aqui está uma questão aparentemente difícil de ser entendida. O que significa a expressão, “SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO”?

Ser cheio do Espírito Santo de Deus é ser guiado por Ele; é deixar-se ser influenciado por Ele e sentir a sua presença e uma verdadeira comunhão com Deus.

Os nossos antepassados que viveram antes de Cristo, não receberam a porção do Espírito de Deus da mesma forma em que os cristãos recebem neste tempo da graça. No passado eles O recebiam na proporção da necessidade que tinham de realizar a missão que Deus o havia incumbido; nada mais. Hoje, temos uma maior promessa, a qual começou se cumprir no dia de Pentecostes e se estenderá até o término do tempo da graça. No momento do seu retorno ao céu Jesus deixou esta promessa aos seus discípulos: “E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes. Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias. Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel? E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder. Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra” Atos 1:4-8.

Esta profecia de Joel, agora confirmada pelo próprio Jesus, se cumpriu no dia de Pentecostes, e não parou por aí. Pois, o derramamento ou enchimento não estava restrito aquele grupo apenas, mas a todos que de coração aceitassem a Jesus. Em seu discurso apologético, o Apóstolo Pedro afirmou: “Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, sendo a terceira hora do dia. Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel: E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, Que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, Os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos terão sonhos; e também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e as minhas servas naqueles dias, e profetizarão” Atos 2:15 -18. Veja que ele reafirmou as seguintes palavras de Joel: “E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, Que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne”... “e também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e as minhas servas naqueles dias, e profetizarão”. Veja que a expressão foi: “Naqueles dias”, se referindo um derramamento contínuo; e não: “Naquele dia”, referindo-se apenas o primeiro acontecimento no dia de Pentecostes. Continuando o seu discurso de defesa afirmou Pedro: “Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar” Atos 2:39. Então, todo cristão, a partir do Pentecostes, pode ser batizado no Espírito Santo e ser cheio dEle. Porém, precisamos saber de uma coisa, viver, ou ser cheio, não é o mesmo que ser batizado no Espírito de Deus. A pessoa pode ser batizada no Espírito Santo e depois se esvaziar dEle, como foi o caso de Nicolau, um dos primeiros diáconos, e de muitos outros cristãos que estiveram no dia de Pentecostes e foram batizados, mas, que depois se desviaram. Outros podem receber o batismo, ser cheio do poder, e mesmo permanecendo na Igreja, levar uma vida vazia, sem sentir a comunhão com Deus. Por outro lado, percebemos que às vezes o cristão não foi batizado no Espírito, como foram os irmãos primitivos que falaram em línguas estranhas e experimentaram outras manifestações sobrenaturais; contudo, são pessoas que mantém um padrão moral e espiritual em conformidade com o caráter do Espírito de Deus. Em Atos dos Apóstolos assim está escrito a respeito de Apolo: “E chegou a Éfeso certo judeu chamado Apolo, natural de Alexandria, homem eloqüente e poderoso nas Escrituras. Este era instruído no caminho do Senhor e, FERVOROSO DE ESPÍRITO, falava e ensinava diligentemente as coisas do SENHOR, CONHECENDO SOMENTE O BATISMO DE JOÃO” Atos 18:24 e 25. Observe aqui que Apolo era um eloqüente pregador, poderoso nas Escrituras, instruído no caminho do Senhor e FERVOROSO NO ESPÍRITO; contudo, não havia sido batizado no Espírito Santo ainda; mas conhecia apenas o batismo de João (Batismo nas águas para o arrependimento).

ENCHENDO DO ESPÍRITO SANTO E MANTENDO-SE CHEIO?

Antes de ter uma vida cheia do Espírito de Deus, é procurar se encher dEle. E para se encher é necessário que o homem esteja vazio; pois não se enche um vaso que esteja ocupado com outra coisa. Depois que alguém aceita a Jesus como Senhor e Salvador de sua vida, o primeiro passo para se encher do Espírito é procurar se esvazias das coisas mundanas e toda sorte de pecados.

Segundo o ensinamento paulino o ser humano pode estar cheio das obras da carne ou do Fruto do Espírito (Gl. 5:19-22). Enquanto o homem vive segundo o curso deste mundo e segundo as inclinações de sua natureza pecaminosa, Deus jamais o encherá do seu Santo Espírito.

Porque a maioria da humanidade prefere as obras da carne ao fruto do Espírito? Porque desconhece o valor da ação do Espírito de Deus. Por isso entendem que os valores oferecidos pelo mundo são mais excelentes. E assim procuram afogar suas paixões e mágoas com a bebida e outros tipos de entorpecentes. Mas o apóstolo Paulo mostra algo mais excelente quando afirma: “E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito” Ef. 5:18. Ele fala isso porque a sensação de bem estar e alegria que o vinho produz na alma do homem, também é produzida pela ação do Espírito de Deus; e isso com uma vantagem incomparavelmente maior. Então, se todos conhecessem esses benefícios oferecidos por Deus na pessoa do seu Espírito, creio que a maioria procuraria se encher dEle.
O Espírito de Deus veio a terra com uma missão importante a ser realizada no seio da Igreja, que foi a de substituir uma lacuna deixada pelo retorno de Jesus ao céu. E isso, o próprio Jesus declarou, quando disse: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; o Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós” Jo. 14:16 e 17. Observe que Jesus ao referir ao Santo Espírito, disse: “Outro consolador”. Isso porque enquanto os primeiros cristãos tinham a sua maravilhosa companhia em carne e osso, poderiam contar com o seu auxílio e consolo; mas ao partir, deixariam tristes e inconsolados. Por isso fez questão de prometer que rogaria ao Pai que mandasse outro consolador que as mesmas características sua; como personalidade e caráter. Uma pessoa que compreendesse nossas fraquezas e necessidades e pudesse se compadecer de nós.

Além do conhecimento das obras do Espírito, para que possa sentir o desejo de se encher dEle, o homem precisa também buscá-lo. Deus jamais dá algo para alguém que não busque ou demonstre qualquer interesse em possuí-lo. Certa vez afirmou Jesus: “Porque, aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á. E qual de entre vós é o homem que, pedindo-lhe pão o seu filho, lhe dará uma pedra? E, pedindo-lhe peixe, lhe dará uma serpente? Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem?” Mat. 7:8-11

Depois de se encher do Espírito de Deus o cristão para manter-se cheio é preciso fazer a vontade de Deus; procurando obedecer a Palavra escrita e a voz do seu santo Espírito que fala ao coração. Caso contrário o Espírito Santo se entristece, como está escrito: “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção” Ef. 4:30.

P.A.B.J-TO. 27/03/10

Uma Geração de Cristãos que não Dança nem Pranteia

Por: Edes Durante o tempo de sua peregrinação, Jesus observou com atenção como Ele e João Batista foram recebidos pelos seus contempor...