sábado, 11 de setembro de 2010

O CRISTÃO E OS DIVERSOS TIPOS DE RELACIONAMENTOS

O que é relacionamento? Podemos afirmar que relacionar é o mesmo que comunicar, como aconteceu com nossos primeiros pais e o seu Criador. Contudo, relacionamentos não se dão apenas entre Deus e os seres humanos, e de humanos entre si; mas também, com seres humanos e demais seres existentes em nosso planeta.

De acordo com os escritos sagrados, Deus, ao criar o primeiro casal, o fez com um coração bom e reto, que o possibilitava obter elacionamentos sadios, tanto com sua espécie como com a natureza que o cercava. Contudo, a queda maculou a natureza humana de tal forma que desde a sua infância o homem carrega em seu coração boa dose de maldade; o suficiente para produzir no ser humano um espírito destruidor.

Concernente ao relacionamento do homem com o planeta, pode se afirmar, que se não fosse o pecado ter entrado no mundo, estaríamos vivendo num verdadeiro paraíso. Mas, a maldade tomou conta do mundo trazendo conseqüências desastrosas à natureza. Sabe-se hoje através de estudos científicos que o buraco existente na camada de ozônio vem crescendo gradativamente à medida que gases tóxicos provocados pelos veículos, indústrias e queimadas criminosas de nossas matas acontecem, e isso vem aumentando a temperatura e conseqüentemente provocando desastres ecológicos de grandes proporções e que os raios ultravioletas que estão deixando de ser filtrados, provocam cânceres de peles nas pessoas; a escassez de água potável aumenta à medida que matas ciliares estão sendo destruídas, e águas advindas de poços artesianos são usadas indiscriminadamente; e que a contaminação do solo e das águas vem a cada dia provocando sérios prejuízos à flora e a fauna do nosso planeta. Contudo, os problemas não param por aí, a cada dia o ar que respiramos recebe uma dose maior de produtos químicos prejudiciais a nossa saúde; de outra forma, produtos radiativos que provocam doenças são emitidos no espaço através de equipamentos eletrônicos como, por exemplo, os celulares, um dos produtos mais populares do momento. E para quem mora nas grandes metrópoles, além da poluição visual causada pela fumaça dos automóveis existe também a poluição sonora provocada pelo barulho dos motores dos aviões, carros e indústrias e outros tipos de emissores de som.

Diante de uma situação tão crítica pela qual vivencia o mundo, não podemos negar que de acordo com a lei da sobrevivência, não teríamos como evitar muitos desses problemas, já que o pecado trouxe a necessidade de sempre aniquilar um ser para garantir a sobrevivência de outro. Entretanto, é certo, que se os homens tomassem consciência desta real situação e tomassem medidas cautelosas de preservação, o mundo estaria bem melhor.

Existem espalhadas pelo mundo afora, ONGs empenhadas na questão da preservação do meio ambiente, bem como, órgãos do governo que trabalham para evitar o uso desordenado dos recursos naturais, mas sabemos - somente essas entidades não podem fazer quase nada; apenas conscientizam a população e fazem algumas repressões, o que apenas amenizam de maneira superficial os problemas existentes e previnem pequena parte deles.

Ao meditar sobre a situação presente enfrentada pelo mundo e sobre o que poderá acontecer em um futuro próximo, nós, os cristãos deveríamos mostrar para o mundo que somos luz para o mundo; empenhando-nos no sentido de sermos exemplo nas questões referente à preservação do meio ambiente. Algo que não deve ser motivado apenas pelas filosofias humanas pregadas por esses movimentos que levantam a bandeira da ecologia, mas principalmente pelo conhecimento que temos da palavra de Deus, a qual nos ensina a lei da vida e não da morte; que nos exorta a sermos bons administradores dos talentos que Deus nos confiou; que nos ensina também amarmos a nós e ao nosso próximo com a mesma intensidade.

Ao pensarmos assim, automaticamente vamos utilizar as coisas que estão ao nosso dispor de maneira que atenda as nossas necessidades e fique alguma reserva para a nossa posteridade.

RELACIONANDO COM NOSSO SEMELHANTE

Relacionar com o ser humano é o segundo mais importante, quando se trata de relacionamento interpessoal, mas, podemos afirmar que dentre os relacionamentos esse é o mais difícil. Mas, não se deve valer dessa dificuldade como pretexto para nos sentirmos desobrigados dessa necessidade; principalmente quando tentamos seguir os princípios bíblicos.

Em nossa convivência diária nos deparamos com pessoas portadoras de vários tipos de necessidades, como por exemplo: Necessidades físicas, emocionais, espirituais, afetivas, econômicas, etc. E todas elas necessitam de algum tipo de ajuda, mesmo que seja uma palavra de aconselhamento, um abraço, um pão para se alimentar, um simples cumprimento, um aperto de mão, um gesto de carinho, etc.

Mesmo sabendo da carência do nosso semelhante e da insignificante parcela de ajuda que podemos dispensá-lo, muitos preferem fazer vistas grossas e ouvidos de mercador para não socorrer tais pessoas. Alguns até imaginam que as questões relacionadas à assistência social, é dever apenas do Estado, e esquecem que antes do Estado ter essa obrigação, o cristão já teria sido incumbido dessa responsabilidade.

Como cidadão do céu e do país do qual fazemos parte, precisamos em primeiro lugar cumprir com nossos deveres impostos pelas leis terrenas e principalmente daqueles recomendados por Deus em sua palavra, para então podermos reivindicar nossos direitos como cidadãos.

NOSSOS DIREITOS COMO CIDADÃOS

Como cidadãos conhecedores dos nossos direitos e deveres terrenos e celestiais, devemos nos empenhar o máximo para que sirvamos de paradigma para os nossos contemporâneos.

Como cidadãos de um país onde há liberdade de expressão do pensamento, da livre escolha de religião, etc. Precisamos saber até a onde o nosso direito é garantido, para evitar entremos em conflito com as leis, e automaticamente sofrer suas penalidades.

Dentre esses direitos podemos fazer parte de movimentos sociais, associações e outras entidades como as ONGs; mas em nenhum desses movimentos que porventura venhamos fazer parte, devemos perder a nossa identidade cristã. Nossas ações devem ser moldadas pela Bíblia sagrada que é o nosso verdadeiro manual de conduta e fé cristã.

P. A. B. J. TO. 11/10/10

Uma Geração de Cristãos que não Dança nem Pranteia

Por: Edes Durante o tempo de sua peregrinação, Jesus observou com atenção como Ele e João Batista foram recebidos pelos seus contempor...